Logo Comunitas

Em Salvador, Comunitas apresenta diagnóstico que apoiará futuro plano de Regularização Fundiária municipal

01/11/2018

A publicação apresentada aos servidores soteropolitanos teve enfoque nas pré-condições para a estruturação de uma política municipal de Regularização Fundiária.

Durante os dias 30 e 31, a Comunitas desembarcou em Salvador (BA) para apresentar o diagnóstico acerca dos assentamentos municipais, que tem como finalidade apoiar a Prefeitura Municipal na formatação de um programa de Regularização Fundiária.

Desenvolvido pela parceira técnica Diagonal, consultoria contratada pela Comunitas, o documento foi revelado durante um seminário de capacitação para cerca de 40 técnicos da prefeitura, integrantes de secretarias envolvidas com a área fundiária, como a Secretaria de Desenvolvimento e Urbanismo (SEDUR) e a Secretaria de Infraestrutura e Obras Públicas (SEINFRA).

Leia também: Prefeitura de São Paulo entrega primeiros alvarás do Aprova Rápido

Essa etapa, a primeira do trabalho, teve como objetivo identificar as lacunas para a formatação de um programa de Regularização Fundiária, e, também, dar o pontapé inicial na construção conjunta do conhecimento da realidade da cidade, levando em consideração fragilidades e potencialidades da administração pública municipal para a implantação de ações de regularização de acordo com a nova regra federal.

“A grande diferença e o grande ganho da Regularização Fundiária é que a partir do momento que o cidadão tem o título de propriedade do seu imóvel, o local passa a fazer parte, principalmente, da economia da cidade, podendo ser vendido livremente e financiado. Um imóvel que não passou por esse processo até ser vendido informalmente, mas não consegue diversas prerrogativas”, explicou Mila Correia Gonçalves Paes Scarton, subsecretária municipal de Desenvolvimento e Urbanismo.

Leia também: Bate-Bola | Gabriel Trevisan fala sobre a melhoria dos processos de licenciamento urbano em Campinas (SP)

Durante o seminário, os servidores soteropolitanos conheceram o diagnóstico legislativo, fundiário, urbanístico, ambiental e social construído ao longo de dois meses – com participação em conjunto de gestores da Prefeitura de Salvador, e puderam debater sobre dúvidas e desafios acerca dos dados apresentados. O processo de elaboração do relatório envolveu a busca, sistematização e análise da documentação relativa à regularização existente na administração municipal.

O trabalho contemplou temas como o levantamento histórico dos marcos de regulação sobre a propriedade privada e as legislações Federal, Estadual e Municipal relacionadas a regularização de terra no município de Salvador; análise para compreender a situação dos Cartórios de Registro de Imóveis de Salvador; mapeamento georreferenciado de áreas prioritárias para a regularização; além de pontuar potencialidades e fragilidades para a construção do programa de regularização.

Leia também: #5 dicas para manter a transparência com os cidadãos nos processos de licenciamento urbano

A documentação apontou que 70% do território continental do município pode ser considerado irregular. Ainda de acordo com o documento, na área legislativa, por exemplo, Salvador possui uma estrutura avançado para tratar a questão, ao possuir regulamentação de instrumentos que inovam a execução, e com leis municipais que abrem perspectivas atraentes para um trabalho a longo prazo na área de regularização fundiária.

Próximos passos

A segunda etapa do trabalho corresponde à formatação conjunta do programa de Regularização Fundiária com a equipe da Secretaria, e abrange pontos como a definição conjunta dos princípios, objetivos e diretrizes a ser implementado visando à construção de uma Política Municipal de Habitação na cidade. O primeiro local definido pela Prefeitura de Salvador para execução do projeto piloto é o bairro de Jardim Cajazeiras, localizado em uma das regiões mais populosas da cidade.

 

Últimas notícias:

Comunitas modela projeto de apoio emergencial a famílias em situação de vulnerabilidade

Com a experiência adquirida ao longo de 20 anos à frente da Comunitas, Regina Esteves,...

Comunitas inicia mobilização de recursos privados para apoiar famílias em situação de vulnerabilidade em SP

A iniciativa busca unir governo, iniciativa privada e sociedade civil para potencializar esforços...

Transferência de renda vira alternativa para mitigar impactos do coronavírus

Ao menos 30 países criaram novos programas de transferência de renda ou fortaleceram os já...

Depois de bater meta de doações para respiradores, Comunitas busca arrecadação para compra de monitores médicos

Para solicitar o número da conta para depósito, clique aqui e entre em contato com a...

Comunitas arrecada R$ 23,5 milhões e doará 345 respiradores para hospitais do Estado de São Paulo

Em caso de dúvida, clique aqui e entre em contato com a Comunitas. Após quatro dias de intensa...