Logo Comunitas

Comunitas reúne executivos sociais em mais um Grupo de Debates da Rede BISC

31/07/2020

Momento objetiva o aprofundamento das análises da pesquisa BISC, intercâmbio de experiências entre a rede e subsídio para o aprimoramento das práticas sociais

A Comunitas realizou, ontem (30), mais um Grupo de Debates da Rede Benchmarking do Investimento Social Corporativo (BISC), encontro que reúne executivos sociais das empresas e institutos e fundações empresariais parceiros, visando fortalecer o intercâmbio de experiências em busca do aprimoramento das práticas sociais.

“Sabemos de todos os desafios que este ano trouxe e do esforço das empresas para enfrentá-los. Inclusive, para auxiliar na gestão dos investimentos sociais pós-pandemia, o tema central da pesquisa BISC mudou, e contemplará os impactos provocados pela Covid-19 na área social, para que tiremos aprendizados desse cenário”, explicou a diretora de Gestão e Investimento Social Corporativo da Comunitas, Patricia Loyola.

Durante o encontro, foram apresentados os primeiros resultados da pesquisa BISC 2020, como, por exemplo, a evolução dos investimentos sociais; a questão dos incentivos fiscais; o perfil da atuação da rede BISC; voluntariado corporativo; e o apoio às organizações sem fins lucrativos. O relatório completo tem previsão de lançamento para o final do ano.

Ainda durante a reunião, a Rede BISC debateu o atual momento dos investimentos sociais, os impactos sofridos durante a pandemia, as lições apreendidas, além de perspectivas futuras acerca da área e deste novo contexto do Investimento Social.

Leia também: Global Exchange se reúne para trocar boas práticas frente ao coronavírus

Dentre outros tópicos, a Rede BISC trouxe a pauta da constituição de um legado social por parte do setor privado. Para alguns executivos, as ações emergenciais realizadas pelas empresas, institutos e fundações durante a pandemia precisam de visão de médio e longo prazo, garantindo uma herança permanente. Os participantes também defenderam mais comunicação e contato com a sociedade para fortalecer a cultura de doação.

Para a coordenadora da pesquisa, Prof.ª Anna Peliano, é possível associar pautas emergenciais com ações mais perenes. A especialista ainda apresentou recomendações extraídas da experiência da Rede BISC no enfrentamento da COVID-19, à exemplo da instalação de uma boa estrutura de governança – como comitês gestores com alta capacidade de decisão; o aproveitamento da expertise da empresa, sem ater-se às regras e modelos anteriormente adotados; e o desenvolvimento de atividades que vão ao encontro das prioridades da empresa e associadas aos negócios. “É certo que o impacto acontecerá, então precisamos nos antecipar para tentar visualizá-lo e mitigarmos externalidade negativas”, acredita a especialista.

Leia também: Com parceria da Comunitas, GIFE lança infográfico com panorama do Investimento Social brasileiro

Participaram do encontro representantes das áreas sociais das empresas Anglo American Brasil, BRK Ambiental, Instituto CCR, Gerdau, Itaú Unibanco, Instituto Neoenergia, Santander, Fundação Telefônica Vivo, Vale e Fundação Vale e Instituto Votorantim.

 

Últimas notícias:

Ananindeua, cidade do Pará, busca engajamento cidadão através de aplicativo de consulta popular

Engajar a população para saber quais demandas atender é um desafio e tanto para as esferas...

Rio Grande do Sul recebe mais de 1000 sugestões de projetos na Consulta Popular

Com aporte de R$30 milhões, a Consulta deste ano foi realizada de forma 100%...

Comunitas publica primeiro estudo sobre a contratualização do Brasil

O livro Mapa da Contratualização dos Serviços Públicos do Brasil foi escrito em parceria com a...

Jornada para Gestores da Comunitas é transformado em livro

A publicação narra como a Comunitas apoiou líderes públicos a planejarem sua gestão durante e...

Aluna da Escola de Atletismo em Paraty (RJ) participa de Campeonato Brasileiro de Sub-16 em Curitiba

A iniciativa é uma parceria entre a Comunitas e a Prefeitura de Paraty que visa o combate à...