Logo Comunitas

BISC 2018: Investimentos sociais brasileiros mantém patamar e distribuição está mais uniforme

05/02/2019

Mesmo operando em situações adversas, as empresas do BISC se esforçaram para preservar os programas em benefício da sociedade, sinalizando seu compromisso com a causa social.

Os dados demonstrados no último relatório Benchmarking do Investimento Social Corporativo (BISC), lançado em dezembro, merecem ser comemorados: em 2017, as empresas do BISC mantiveram os investimentos sociais no patamar de R$ 2,4 bilhões, mesmo com o cenário econômico desfavorável dos últimos anos.

Mas ampliação dos investimentos não foi generalizada

Mesmo com a manutenção dos investimentos, houve movimentos diferentes dentro do grupo BISC, resultado de efeitos diferenciados da conjuntura econômica nos diferentes ramos de negócios.

Leia mais: Bate-Bola | Superintendente do Itaú Social, Angela Dannemann aborda investimentos sociais corporativos na educação

Cerca de 60% das empresas reduziram seus investimentos sociais, sendo que em 23% delas a redução foi superior a 25%, na comparação com os valores aplicados em 2016. Porém, o acréscimo ocorrido nas demais empresas e fundações integrantes do grupo compensou a redução.

Medidas adotadas para combater a recessão e engatar um processo de recuperação da economia evidenciam, de forma mais clara, o impacto diferenciado da economia brasileira no total dos investimentos sociais.

Fonte: BISC 2018

 

Investimentos sociais mais distribuídos

Outra notícia que merece destaque é a distribuição espacial mais equilibrada dos investimentos sociais do grupo. Nas primeiras edições da pesquisa BISC era nítida a forte concentração dos recursos nas regiões mais desenvolvidas do país. Em 2009, por exemplo, mais da metade dos recursos (52%) foram alocados sobretudo, no Sudeste e Sul. Já em 2017, tal percentual se reduziu para 29%, ficando semelhante ao valor investido nas regiões Norte e Nordeste – o que torna os investimentos menos concentrados regionalmente.

Leia mais: Gerente geral do Instituto Votorantim, Rafael Gioielli aborda investimento social corporativo para desenvolvimento territorial

O motivo? 75% das empresas e 57% dos institutos ansiaram focar o atendimento nas demandas das comunidades instaladas no entorno dos empreendimentos econômicos.

 

Fonte: BISC 2018

 


 

Para saber mais sobre tendências e desafios do investimento social corporativo brasileiro, clique no banner e faça o download do Destaques BISC 2018.

Últimas notícias:

Reunião entre Comunitas e Governo do RS debate cenário econômico e medidas de enfrentamento ao coronavírus

A Comunitas e o Governo do Estado do Rio Grande do Sul realizaram, no último dia 27, mais uma...

Renda básica lança luz sobre o desafio ético do nosso tempo

por Fernando Schüler* Eliminação da miséria é fronteira civilizatória, assim como foi, no...

Comunitas modela projeto de apoio emergencial a famílias em situação de vulnerabilidade

Com a experiência adquirida ao longo de 20 anos à frente da Comunitas, Regina Esteves,...

Comunitas inicia mobilização de recursos privados para apoiar famílias em situação de vulnerabilidade em SP

A iniciativa busca unir governo, iniciativa privada e sociedade civil para potencializar esforços...

Transferência de renda vira alternativa para mitigar impactos do coronavírus

Ao menos 30 países criaram novos programas de transferência de renda ou fortaleceram os já...

Assine nossa Newsletter:

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Contato

Tel:(11) 3372-4313

mail: