projeto-contribui-para-reducao-da-mortalidade-infantil

Projeto contribui para redução da mortalidade infantil

Reduzir o índice de mortalidade infantil para um dígito foi a meta estabelecida pela Prefeitura de Santos com o novo programa Mãe Santista. Implementado em 2013 pela Secretaria da Saúde e Fundo Social de Solidariedade, o Mãe Santista entrou em nova fase com a parceria estabelecida pela prefeitura com o Juntos pelo Desenvolvimento Sustentável, por meio da Escola de Mães. A iniciativa dá assistência à gestante durante toda a gravidez, incluindo o período pré-natal, parto e pós-parto, além de acompanhar o bebê até os 24 meses de vida. A intenção é partir da experiência acumulada no atendimento, tanto pelos servidores como pelos usuários, e estabelecer novos padrões de atendimento para ampliar a rede de cuidados contínuos para a mãe e o bebê.

Desafio

Dados da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) indicam que, desde 2000, Santos tinha a pior taxa de mortalidade infantil do estado de São Paulo. O índice médio da cidade, em 2014, foi de 13,65, o que significava que a cada mil nascidos vivos quase 16 não sobreviviam até o primeiro ano de vida.

Em 2013, a prefeitura criou o Programa Mãe Santista, com a finalidade de dar assistência à gestante durante toda a gravidez, incluindo pré-natal, parto e pós-parto, com acompanhamento do bebê até o primeiro ano de vida. Além disso, o programa visava a melhoria da qualidade dos atendimentos na rede pública de saúde. No entanto, por meio de entrevistas com gestantes e servidores municipais, foi possível identificar que a maior força do Mãe Santista estava na entrega dos enxovais, enquanto a maior oferta de consultas e exames não era plenamente reconhecida como uma ação do mesmo programa.

Leia mais: Escola de Mães inspira intercâmbio entre Santos e Paraty

A partir das análises realizadas durante a fase de diagnóstico e exploração concluiu-se que a mortalidade infantil no município era uma questão complexa e multifatorial. Desse modo, a redução do coeficiente só seria possível a partir de um conjunto de soluções diversificadas e que envolvesse diferentes atores.

Com o objetivo de complementar as ações de redução da mortalidade infantil na cidade e criar um serviço acolhedor e efetivo para as gestantes e mães com filhos de até 1 ano de idade, a prefeitura, com apoio do Juntos e parceria técnica da Agência Tellus, criou o projeto Gestante em Foco.

Soluções

Como reduzir a mortalidade infantil a partir de melhorias nos serviços para as gestantes do município? Foi com esse desafio que a prefeitura de Santos, em parceria com o Juntos, iniciou uma jornada que percorreu etapas de exploração, pesquisa, cocriação e implementação de ideias inovadoras, num projeto construído ao longo de um ano, com a participação de diversos atores.

Envolvendo servidores e usuários da rede de saúde, o Gestante em Foco cocriou diversas soluções que priorizaram o empoderamento das mulheres para a participação ativa em seu próprio cuidado. Na perspectiva do cuidado integral, essas soluções interconectam as diversas dimensões da vida das mulheres, para além da gestação, favorecendo o estabelecimento de vínculos de confiança com o serviço.

O objetivo do Gestante em Foco é mobilizar e engajar os cidadãos e servidores públicos no desenvolvimento e implementação de um serviço acolhedor e efetivo para as gestantes e mães de crianças até 1 ano, com vistas à redução da mortalidade infantil em Santos. A meta da Secretaria Municipal de Saúde é atingir um dígito (menor que 10) nessa taxa em 2016.

O mapa de ação criado no projeto visa estabelecer uma linha de cuidado contínuo, focada nas gestantes e pela qual a Secretaria de Saúde passa a atuar de modo interdisciplinar, estimulando a integração entre os diferentes órgãos e promovendo a corresponsabilidade no atendimento às gestantes e mães. O mapa compreende a interconexão das fases e ações descritas a seguir.

  • Planejamento familiar: fortalecimento das ações de saúde reprodutiva, prevenção a gestação indesejada e promoção de ações de autopercepção;
  • Pré-natal: garantia da classificação contínua de gestações com risco biológico, desenvolvimento de serviços para gestantes que não aderem ao pré-natal e promoção de vivências e práticas educativas para usuárias e familiares;
  • Parto: integração do fluxo de informações, melhora no acolhimento e humanização;
  • Pós-parto: garantia do vínculo dos usuários com a rede e fortalecimento do aleitamento.

Além dessas soluções, o projeto visa a integração das ações da Secretaria da Municipal da Saúde e da Seção de Vigilância à Mortalidade Materno-Infantil através da valorização e do cuidado contínuo dos servidores, integração da rede de saúde, incorporação do diagnóstico interdisciplinar das gestantes e criação de práticas resolutivas.

Resultados principais

No âmbito do projeto Gestante em Foco foi criada a Escola das Mães, conjunto de atividades educativas que complementam as consultas médicas e preparam as mulheres e sua rede de apoio para questões relacionadas à maternidade, à saúde reprodutiva, à gestação, ao pós-parto e aos direitos da mulher. As atividades para gestantes se somam às consultas, constituindo o pré-natal ampliado.

Criada com apoio técnico da Agência Tellus, parceiro da Comunitas, a Escola das Mães inclui a capacitação de servidores para ministrar atividades práticas, materiais para facilitadores (itens multimídias, materiais de papelaria e kit didático de aleitamento e parto), e kit para a usuária (fichários com os conteúdos das atividades e pastas), além da sala oficial de atividades no Instituto da Mulher e Gestante.

Atualmente, as atividades da escola acontecem em sete equipamentos de saúde de Santos: Seção Instituto da Mulher e Gestante, Unidade de Saúde da Aparecida, Unidade Básica de Saúde Pompeia – José Menino, Unidade de Saúde Vila Mathias, Policlínica do Jardim São Manoel, Unidade da Saúde da Família do Jabaquara e Unidade de Saúde da Família Martins Fontes – Vila Nova. Até 2016, a Escola de Mães já havia formado 237 grupos, somando quase 2 mil participantes.

Outro resultado do projeto foi a formação do Grupo de Referência da Escola das Mães, composto por três servidoras da Secretaria da Saúde, as quais serão responsáveis por acompanhar, organizar e divulgar a ação na cidade. Já o Time de Facilitadores conta com 13 servidoras da Saúde e demais pastas, além de parceiros externos, que passam por treinamentos semestrais em técnicas de moderação de grupos e conteúdo programático. O objetivo do time é disseminar os conceitos e atividades da escola nos diferentes equipamentos de saúde da cidade.

Dados da Secretaria Municipal da Saúde mostram que houve um aumento de 48% da participação dos pais nos exames de pré-natal, indicador monitorado pela prefeitura desde 2013, resultado alavancado também pelas ações do Gestante em Foco.

Já uma prioridade da atual gestão, a questão materno-infantil foi ainda mais valorizada com a adoção do projeto Gestante em Foco, tendo contribuído decisivamente para um dos principais resultados obtidos pela prefeitura de Santos nesta área: o coeficiente de mortalidade infantil caiu de 13,69, em 2014, para 7,9, até abril de 2017 – o menor índice da história da cidade.

Segundo a Secretaria da Saúde, outra grande conquista alavancada pelo Gestante em Foco foi o reconhecimento dos equipamentos públicos de saúde municipais, o aprimoramento da qualidade dos serviços oferecidos às gestantes, às mães e aos bebês e a valorização do próprio sistema público de saúde público santista.

Premiação internacional

A Escola de Mães foi a grande vencedora do internacional Core77 Design Awards – um dos principais prêmios de design de produtos e serviços no mundo.

A iniciativa venceu duas premiações: na categoria “Design pelo Impacto Social” e no “Voto Popular”, concorrendo com outras 13 iniciativas selecionadas pelos juízes. Como prêmio, a Escola de Mães recebe um Microsoft Surface – produto híbrido de computador e tablet.

Expansão para toda rede de Santos

Inspirado na Escola de Mães, o parceiro técnico da Comunitas, Agência Tellus, ampliará a iniciativa para mais 8 unidades, visando reduzir iniquidades desigualdades regionais distribuindo de forma mais equilibrada os serviços de saúde.

O objetivo desse novo projeto irá além das demandas maternas, focando, também, em reduzir a demanda reprimida existente em oftalmologia; fortalecer o vínculo entre as pessoas e o aprofundamento nos conceitos e práticas da Justiça Restaurativa; criar nove núcleos tecnológicos e qualificação de bibliotecas em escolas Públicas, além de estruturar curso profissionalizante de corte e costura.

Imprensa

A Escola das Mães já foi destaque em canais de grande destaque no Brasil, como Profissão Repórter e Jornal Nacional.

Confira os vídeos abaixo:

 

Compartilhe esse conteúdo!:

Deixe um comentário