estudos-comportamentais-e-uso-da-tecnologia-dao-o-tom-no-segundo-dia-de-curso-promovido-pela-comunitas-nos-eua

Estudos comportamentais e uso da tecnologia dão o tom no segundo dia de curso promovido pela Comunitas nos EUA

O segundo dia do International Program for Public Leaders in Washington DC ainda teve visita ao Congresso americano e ao Banco Mundial.

Entender e moldar comportamentos foi o assunto da palestra que abriu o segundo dia de atividades do International Program for Public Leaders in Washington DC, curso correalizado pela Comunitas e a Leadership Academy for Development (LAD) – projeto do Center on Democracy, Development and the Rule of Law (CDDRL), parte do Freeman Spogli Institute for International Studies da Universidade de Stanford, e elaborado em parceria com a Escola Johns Hopkins de Estudos Internacionais Avançados.

 Leia também: Parceria público-privada é foco no primeiro dia de curso promovido pela Comunitas nos Estados Unidos 

 “Há oito razões pelas quais as pessoas decidem não cumprir certas normas ou políticas, a maioria delas está relacionada com crenças, cálculo econômico e capacidade. Há maneiras para entender esses comportamentos e remediá-los”, explicou o professor Kent Weaver, membro sênior do programa de estudos sobre governança da Brookings Institution e professor de políticas públicas e governo da Georgetown University. A aula ensinou estratégias para incentivar o cumprimento de regras sociais, como leis de trânsito, e contou com a ativa participação de todos os presentes, que compartilharam experiências de suas cidades e municípios.

Fotos: Ryan Rayburn

O curso está sendo muito bom, não somente pelo conteúdo em si, mas, também, pelo intercâmbio entre pessoas com cargos e visões diferentes. Isso que vai fazer, realmente, com que a gente desenhe e proponha políticas públicas melhores para resgatar o nosso País”, afirmou , vice-governador de Minas Gerais.

Leia também: 5 coisas que as novas lideranças públicas do século 21 precisam fazer

Em seguida, o grupo foi dividido para representar as partes interessadas na formalização da economia de Medellín, na Colômbia, que em 2004 experimentava um grande crescimento populacional acompanhado de violência entre gangues. O desafio do secretário de planejamento Federico Restrepo Posada era melhorar a relação com o setor privado e reduzir a economia informal. “A formalização dá inúmeras vantagens para o longo prazo, entre elas o fato de que as empresas podem pleitear novas linhas de crédito”, observou Miguel Coelho, prefeito de Petrolina.

Foto: Ryan Rayburn

A troca de experiências entre os participantes ficou evidente. “Estive em Medellín e vi que eles têm um programa para qualificar profissionais e fazer melhores produtos”, contou Filipe Sabará, presidente do Fundo Social do Estado de São Paulo.

À tarde, Stephen Goldsmith, diretor do Programa de Inovações do Governo Americano na Kennedy School of Government em Harvard, falou sobre o uso de Big Data para melhorar governança pública. “Quanto mais informações estiverem disponíveis, maior a transparência. Quanto mais pode-se ver o que o governo está fazendo, mais confiança ele ganha para avançar nos temas mais urgentes para a população”, diz Goldsmith.

Leia também: Prefeito de Medellín e diretor na Universidade de Columbia debatem lideranças públicas

Após às aulas, a comitiva seguiu para visitas ao Congresso americano e, também, ao Banco Mundial, onde foram recebidos por Paloma Casero, diretora do banco para o Brasil. O dia terminou com uma visita à Embaixada brasileira nos Estados Unidos, sendo recepcionados por Nestor Forster, encarregado de negócios do Brasil em Washington.

Foto: Ryan Rayburn

“Considero estes encontros muito importantes, pois ao dialogar e compartilhar experiências com instituições diversas, os líderes públicos podem entender e internalizar visões mais amplas sobre formas de administrar, e nós do Juntos percebermos melhor nosso papel ao auxiliar”, acredita Luiz Idelfonso Simões Lopes, um dos membros da Governança do Programa Juntos.

Leia também: Juntos no Valor Econômico: “Nosso desafio é trazer mais eficiência para o setor público”

 

 

 

A Comunitas

A Comunitas é uma organização da sociedade civil brasileira que tem como objetivo contribuir para o aprimoramento dos investimentos sociais corporativos e estimular a participação da iniciativa privada no desenvolvimento social e econômico do país.

Por meio do envolvimento de diversos atores, estimula e fomenta ações conjuntas com o propósito comum de promover o desenvolvimento sustentável por meio da parceria de líderes empresariais, engajados nas várias frentes de atuação da Comunitas.

É a segunda vez que a Comunitas promove a ida de lideranças públicas para capacitação e troca de experiências em universidades renomadas mundialmente. Em 2018, a organização coordenou o Accelerating Growth in Brazilian Cities – Special Program for Brazilian Mayors, em uma das mais renomadas universidades do mundo, a Universidade de Columbia, em Nova Iorque (EUA).

Leia também: Comunitas na Exame | Políticos brasileiros vão à escola em Nova York

Deixe um comentário:

Facebook
Twitter
LinkedIn
YouTube
Instagram
Siga-nos por email