escola-de-comer-uma-nova-possibilidade-na-merenda-escolar

Escola de Comer: uma nova possibilidade na merenda escolar

por Ana Bueno*

A Escola de Comer existe desde o final de 2014 e reúne padrinhos voluntários que contribuem com a sugestão de um cardápio nutritivo para as escolas municipais e também com uma proposta de logística e melhoria das estruturas físicas das escolas, tudo com recursos da própria prefeitura. Auxiliam na compra de produtos locais e apoiam os educadores com propostas pedagógicas de educação gastronômica alimentar.

A Escola de Comer hoje significa muito mais que um projeto que garante a merenda de qualidade para as crianças das escolas. O projeto se tornou um programa municipal, que coloca lado a lado a sociedade e o poder público, construindo ações em conjunto.

Nem todos ainda se deram conta, mas com o cardápio proposto, foi possível levar para muitas famílias hábitos saudáveis por meio da introdução de alimentos que previnem vários problemas de saúde, da obesidade à desnutrição.

Leia mais: 10 dicas para melhorar o IDEB da sua cidade

Outro ponto importante é a crescente produção da agricultura familiar, desde o começo do programa até agora. Há 4 anos, quando foi implementada, eram apenas seis produtores que forneciam seus ingredientes para a merenda das escolas e, hoje, mais de 60 participam e produzem, o que alavancou a economia da cidade.

Nas escolas da costeira, a Escola de Comer atua com a valorização dos produtos naturais e a separação dos resíduos, diminuindo o consumo de produtos industrializados e o lixo produzido nessas comunidades.

O incentivo da produção das hortas escolares, também é uma das prioridades dos padrinhos da Escola de Comer, que apoiam e ajudam a comunidade escolar a implantar e cuidar de hortas. Algumas escolas já chegaram a colher muitos alimentos, que estão sendo consumidos na merenda.

A valorização dos produtores locais também é foco do programa, que busca a inversão de valores sociais, colocando o que é nosso em evidência e permitindo a entrada do que vem de fora como contribuição importante, mas sempre atraindo olhares e demarcando o espaço gastronômico local.

Leia mais: Ensino infantil de Paraty desenvolve habilidades socioemocionais

O programa ainda incentiva a formação de novos profissionais da culinária, como ponto de grande importância para o fomento da economia criativa. Lançando para a juventude novas oportunidades de formação e emprego, e, com isso agregando a rede do turismo que é base da economia local.

Um destaque revolucionário do programa é a oportunidade de parceria da sociedade e poder público, em uma ação que deu certo e independente de posição partidária, deve ser levado adiante, com a garantia de ganho de espaço popular em ações que antes eram restritas a políticos e funcionários públicos. A Escola de Comer inicia um diálogo entre sociedade e estrutura administrativa municipal que certamente resultará em ganhos consideráveis para toda a sociedade. É a parceria do futuro e replicável em qualquer cidade!

E pensar que tudo isso começou com um simples ato de afeto! Eu só queria levar para as escolas a minha experiência como mãe, e deixar registrado em todas as famílias, as experiências gastronômicas e afetivas de convivência em um singelo caderno de receitas!

*Ana é chef de cozinha e coordenadora da Escola de Comer.

 

 

Comente:

Compartilhe esse conteúdo!:

Deixe um comentário

Facebook
Twitter
LinkedIn
YouTube
Instagram
Siga-nos por email