escola-de-comer-lanca-manual-dos-padrinhos

Escola de Comer lança “Manual dos Padrinhos”

A Escola de Comer de Paraty, projeto apoiado pelo Juntos pelo Desenvolvimento Sustentável, lançou esta semana o “Manual dos Padrinhos”, com as metas do programa, recomendações sobre armazenamento de alimentos, higiene pessoal e algumas estratégias de acompanhamento do trabalho das merendeiras.

O “Manual dos Padrinhos” traz ainda um histórico do programa e informações sobre o cardápio adotado nas escolas este ano, com o acréscimo de novos produtos da agricultura familiar do município.

Rebatizado como “Escola de Comer” a partir deste ano, o projeto de requalificação da merenda escolar está em andamento em Paraty desde 2014. Em 2017, o programa incorporou novos padrinhos, diversificando o perfil dos voluntários que atuam junto às escolas e acompanham o trabalho das merendeiras, a adaptação dos alunos aos pratos do novo cardápio e a logística de entrega e armazenagem dos alimentos.

Na última quarta-feira, padrinhos e técnicos da prefeitura fizeram uma reunião para avaliar a implantação do novo cardápio e as demandas das escolas.

A coordenadora do projeto, Ana Bueno, pediu a todos que utilizem os novos canais de comunicação do programa, como blog e redes sociais, para divulgar e garantir a replicabilidade de iniciativas positivas nas escolas. Ela citou o exemplo do “teste às escuras de sabor” utilizado por uma madrinha para estimular alunos a experimentarem alimentos como beterraba e chuchu.

Durante o encontro, madrinhas, padrinhos e técnicos da prefeitura discutiram estratégias para estimular a aceitação das inovações do cardápio de 2017.Uma das novidades da merenda deste ano é o “cardápio vegetariano”, às segundas-feiras.

O encontro também discutiu novas ferramentas de estímulo aos agricultores familiares que fornecem alimentos para o programa. A coordenadora da Emater-RJ em Paraty, Janaina Ariston, afirma que o fortalecimento da agricultura familiar foi outra grande conquista da “Escola de Comer” em Paraty.”Agricultores que haviam desistido de produzir voltaram para suas terras a partir da garantia de destinação de seus produtos”. disse.

Clique aqui e acesse o manual.