com-apoio-do-juntos-ensino-infantil-de-paraty-desenvolve-habilidades-socioemocionais

Com apoio do Juntos, ensino infantil de Paraty desenvolve habilidades socioemocionais

As crianças paratienses terão oportunidade de aprender a lidar com suas emoções, por meio de educação socioemocional.

Foto: Prefeitura de Paraty

Em parceria com o Programa Juntos, um novo trabalho de apoio à educação pública foi lançado nesta segunda-feira (26), em Paraty (RJ). Uma reunião com diretores e coordenadores pedagógicos do ensino infantil e visitas a creches e pré-escolar do município marcaram o lançamento da frente de desenvolvimento das habilidades socioemocionais da educação infantil, batizada como SER (Sociomocional e Relações).

As crianças não sabem lidar com as emoções delas e este é um grande desafio para os educadoresAdriana Moreno, diretora da pré-escolar Pingo de Gente 2

O pontapé inicial da ação começou com um encontro de planejamento das atividades da equipe do SER em Paraty, com a participação da consultora Ana Colagrossi, da secretária de Educação, Eliane Thomé, e da coordenadora de ensino infantil de Paraty, Nina Silva.

Durante o encontro, ficou definido que o projeto de desenvolvimento das habilidades socioemocionais vai contemplar 15 escolas que oferecem ensino infantil em Paraty, agrupadas em três grupos.

No total, serão envolvidos 120 profissionais de ensino e beneficiados mais de 800 alunos.

Foto: Prefeitura de Paraty

O primeiro encontro de formação para os profissionais de ensino será no dia 16 de março e, em seguida, serão organizadas reuniões com os pais e trabalho de acompanhamento nas escolas beneficiadas pelo programa.

Ainda na manhã de segunda-feira, o projeto do SER foi apresentado aos diretores e coordenadores pedagógicos dos pré-escolares Pingo de Gente 1 e 2 de Dercyneide de Moraes.

As coordenadoras receberam a proposta com entusiasmo e se dispuseram a auxiliar no engajamento dos professores nas atividades do programa.

Leia mais: A importância da aprendizagem socioemocional na escola

Segundo a diretora da pré-escolar Pingo de Gente 2, Adriana Moreno, a proposta do SER contempla uma realidade pouco pensada em termos de planejamento do ensino infantil. “As crianças não sabem lidar com as emoções delas e este é um grande desafio para os educadores”, disse.

Questionada sobre a estratégia de abordagem do SER, Ana Colagrossi explicou que o trabalho será feito diretamente nas escolas, ouvindo a comunidade escolar e adaptando as atividades pensadas para estimular as habilidades socioemocionais à realidade de cada unidade.

No período da tarde, Ana Colagrossi visitou as quatro maiores creches de Paraty, entre elas as creches Alzira Coupê, no bairro Ilha das Cobras, e a creche Dercyneide Moraes, no bairro Mangueira. Ela foi acompanhada pelas coordenadoras de ensino Mariana Lobo e Nina Silva.

Foto: Prefeitura de Paraty

Ana conversou com as equipes diretivas e com os professores nas quatro escolas e conheceu os projetos pedagógicos complementares, como aqueles relacionados às atividades da Escola de Comer.

Na avaliação da consultora, o maior desafio é engajar os pais e profissionais de ensino em um projeto único para estimular a empatia e as competências socioemocionais dos alunos. Para ela, as escolas têm equipes entusiasmadas e comprometidas com o seu trabalho.

Vídeo: Por que nós todos precisamos praticar primeiros socorros emocionais

A coordenadora de ensino infantil, Nina Silva, disse que o trabalho com as habilidades socioemocionais dos alunos será um aprendizado para todos os profissionais do segmento. “Temos que procurar entender e respeitar as reações dos alunos”.

Deixe um comentário