5-cidades-que-resolveram-planejar-com-foco-no-cidadao

5 cidades que resolveram planejar com foco no cidadão

Você – seja gestor público, liderança privada, estudante ou dona de casa – é, acima de tudo, cidadão. Então saiba que um bom planejamento urbano interfere, diretamente, na sua vida.

Leia também: Planejamento urbano é tema do podcast “Conversa Pública” deste mês

Confira alguns exemplos:

 

 

Medellín

Segunda maior cidade da Colômbia, Medellín tem se tornado exemplo em diversas áreas, à exemplo do planejamento urbano. Para isso, a administração local tem caminhado para uma arquitetura baseada em integração – o conceito Proyecto Urbano Integral (PUI), instrumento de intervenção urbana que abrange as dimensões física, social e institucional, com o objetivo de resolver problemas específicos em um território definido.

O PUI constrói intervenções que servem como modelos para áreas de crescimento não planejado e com baixa cobertura de equipamentos e deficiência de espaços públicos.

Um dos exemplos mundiais de mobilidade produzido por Medellín é o Metrocable, teleférico de alta capacidade que conecta os moradores dos bairros da periferia a se locomoverem de forma mais rápida pelas encostas íngremes encontradas frequentemente nessas regiões, os conectando à malha metroviária da cidade.

Leia também: Como o planejamento urbano influencia nosso dia a dia

 

 

Curitiba

Pioneira quando o assunto é sustentabilidade e mobilidade urbana, Curitiba é berço do BRT (Bus Rapid Transit), um dos sistemas de transporte de alta capacidade mais replicados do mundo.

Para tornar os resultados perenes e sobreviventes à mandados, a Prefeitura Municipal, com apoio do Programa Juntos, criou o Curitiba 2035 – plano de ações que reúne os anseios da sociedade e leva Curitiba a alcançar um crescimento sustentável, inovador e humano, com respostas efetivas às demandas da população. A governança da iniciativa conta com a participação de diferentes setores da sociedade civil.

O Curitiba 2035 possui uma publicação que apresenta as ações de curto, médio e longo prazo que servirão de guia para o desenvolvimento socioeconômico da capital paranaense. Atualmente, o projeto está na fase de construção da matriz de responsabilidades, uma espécie de dispositivo com o qual as instituições assumem sua responsabilidade dentro do planejamento estratégico.

Leia completo: Planejar Cidades para o Futuro

 

 

Nova Iorque

Nova Iorque é uma das maiores e mais conhecidas cidades do mundo, mas ainda assim, suas ações de planejamento urbano podem servir de exemplo para qualquer outra cidade, pois, o caminho que a cidade optou foi de reaproveitar espaços urbanos não utilizados.

Uma das ações da administração local foi a criação de pequenos “oásis” urbanos, que transformou alguns corredores bastante movimentados por carros em espaços para pedestres, com objetivo de reduzir congestionamentos e, consequentemente, a poluição.

Outra decisão tomada pelo governo local foi a construção do High Line, que salvou uma antiga ferrovia elevada e a transformou em um parque onde a comunidade pode usufruir. Desde então, tornou-se uma inspiração global para as cidades transformarem zonas industriais não utilizadas em espaços públicos dinâmicos.

Leia também: Smart Cities: A disrupção que invade a Gestão Pública

 

 

Portland

Imagine se cada um dos 600 mil de habitantes de uma cidade levasse, no máximo, 20 minutos andando no trajeto de casa para o trabalho? Na cidade americana de Portland isso é realidade.

Isso somente é possível devido ao planejamento urbano desenvolvido na cidade, que implementou nos bairros o alinhamento entre o desenvolvimento social e econômico, fomentando a construção de escolas, centros comerciais e de lazer a poucos minutos de caminhada das casas, evitando que o morador necessite percorrer longas distâncias para realizar atividades diárias e consumir serviços.

Leia também: Entre o cidadão e a cidade digital

 

 

Santos

No litoral paulista, o Santos 500 é um planejamento urbano desenvolvido pela Prefeitura Municipal, com apoio do Programa Juntos, que pretende levar protagonismo para a sociedade, focando na construção coletiva de um plano integrado de desenvolvimento local sustentável. O planejamento estratégico que pretende estabelecer metas, ações, e diretrizes para o fortalecimento da cidade como referência em qualidade de vida, progresso econômico e social e polo educacional e turístico.

O projeto configura-se como uma oportunidade de o município se alçar a novos patamares de qualidade de vida urbana, a partir da construção de uma visão compartilhada de futuro e do estabelecimento de diretrizes de desenvolvimento pautadas por paradigmas de sustentabilidade, inovação, criatividade, eficiência e solidariedade.

Para o desenvolvimento do projeto, a Comunitas contratou a parceria-técnica do escritório de arquitetura do renomado urbanista brasileiro Jaime Lerner, que já apresentou algumas propostas de intervenção urbana para a Prefeitura de Santos.

Assista: Arquiteto Jan Gehl fala sobre sua visão de “cidades para pessoas”

 


 

 

Deixe um comentário:

Facebook
Twitter
LinkedIn
YouTube
Instagram
Siga-nos por email